Uma revolução digital está a caminho: a Internet de Todas as Coisas

Aprendemos com a História e com a vida que não há nada mais permanente do que a mudança. A mudança é algo constante na vida das pessoas e das coisas. Tudo está sempre mudando, para pior, para melhor ou mudando simplesmente.

A Internet atualmente tem uma importância simplesmente sem precedentes. Surgida na década de 70, ela cresceu e evoluiu muito nas últimas décadas. Novos equipamentos, linguagens de programações, conexões, softwares, enfim, toda a tecnologia que envolve a Internet avançou muito e esse avanço é cada mais intenso e acelerado.

Centenas de milhões de pessoas acessam a Internet, conectando-se umas com as outras, não importa qual parte do mundo esteja. Instituições públicas e privadas conectam-se umas às outras e com seus clientes.

A Internet está passando agora por uma verdadeira revolução, aquilo que chamamos de Internet de Todas as Coisas.

O que é a Internet de Todas as Coisas?

A Internet que usamos atualmente é o que se chama de Internet das Coisas (OIT em inglês), onde o foco principal é o fluxo de informações. Nós já temos objetos que se conectam à Internet de alguma através de meios de identificação de informações e equipamentos com tecnologia capaz de sentir e captar as características físicas desses objetos. Ou seja, existem tecnologias aptas a fazerem uma leitura sensorial de algum elemento físico.

Conforme a tecnologia vai evoluindo, os objetos ampliam sua capacidade de serem lidos e conectados com outros elementos. Com o advento da Internet de Todas as Coisas, essa possibilidade de integrar pessoas, objetos, processos e informações aumentam a níveis inimagináveis.

A Internet de Todas as Coisas (IOE em inglês) é um modo ainda intenso e completo de conectar as coisas, de um modo sensorial e inteligente. Se hoje em dia essa é uma realidade que já existe, a médio e longo prazo ela irá se consolidar.

Segundo a Cisco, que é a empresa líder dessas transformações, a ideia da Internet de Todas as coisas é integrar os recursos humanos, ou seja, as pessoas, as informações, os processos e os objetos físicos.

Como funcionaria a Internet de Todas as Coisas?

O princípio desse novo funcionamento é ampliar a capacidade de leitura, de obtenção e processamento de dados de objetos físicos ou mesmo orgânicos e transmitir essas informações de modo a estabelecer  e aprimorar as vivências no mundo.

Imagine-se em um daqueles filmes de ficção científica onde há equipamentos e aparelhos capazes de coletar dados de pessoas e objetos e com isso criar novas e diferentes experiências dentro das sociedades. Isso já não é algo distante, mas uma realidade próxima e provável, com o auxílio da Internet de Todas as Coisas.

Uma série de equipamentos e produtos estão conectados à Internet de alguma forma. Mas esse número ainda é bem pequeno em comparação com a quantidade de coisas que poderiam estar conectadas.

O propósito desse esquema é fazer com que os aparelhos e equipamentos possuam uma modalidade de sensores, que percebem as mudanças ocorridas na realidade física que ele se encontra e envia essas informações a um banco de dados, podendo igualmente se comunicar com outros aparelhos. Realizada essa captação, um determinado programa processará essas informações e vai realizar ações de acordo com os dados obtidos.

As empresas existentes no mercado que quiserem continuar a crescer e prosperar necessitam encontrar meios de se integrar a essa nova realidade. A partir do momento em que uma empresa usufrui dos atributos da Internet de Todas as coisas para melhorar ainda mais os seus serviços, os seus rendimentos e lucros. Quanto mais rápido uma empresa de adequar a esse novo momento, mais chances ela terá de crescer.

 

 

Adicione seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.