Aplicações para servidores de HTTP

Atualmente há cada vez mais programas fazendo pedidos HTTP ou leitores de RRS e outros, e quase desde o início da internet os ficheiros servidos pelo web Server iam para além dos ficheiros HTML. Finalmente agora os servidores podem executar programas com a ajuda das aplicações para servidores de HTTP.

Um servidor de aplicações ou, em inglês, Applications Server, é um tipo de servidor que disponibiliza um ambiente para a instalação e execução de certas aplicações. Ele centraliza e dispensa a instalação nos computadores dos clientes, facilitando o trabalho e economizando assim muito tempo.

Esses servidores de aplicações também são conhecidos como middleware e tem o objetivo de disponibilizar uma plataforma que separe do desenvolvedor de software algumas das complexidades de um sistema operacional, que são muitas. O servidor recebe uma solicitação (requisição) e devolve uma resposta ao cliente.

Diante deste assunto, podemos ver que são muitas as dúvidas que surgem quando falamos sobre aplicações para servidores de HTTP e por isso resolvemos esclarecer um pouco mais sobre o assunto para você. Então continue lendo esse artigo e saiba muito mais informações.

Tudo o que você precisa saber sobre aplicações para servidores de HTTP

O sistema operacional pode se tornar um pouco complexo, mas é essencial saber como se configuram algumas coisas, entre elas as aplicações para servidores de HTTP. Então saiba mais sobre isso agora mesmo com as informações que separamos para você.

O servidor de aplicações responde a algumas questões comuns a todas as aplicações como uma segurança, garantia de disponibilidade, balanceamento de cargas e também tratamento de exceções.

E na computação as aplicações designam de uma forma geral os sistemas de informática projetados para utilização através de um navegador e através da internet ou aplicativos desenvolvidos usando de tecnologia web THML, podendo ser executado por um servidor HTTP.

Essas aplicações também são definidas em tudo o que é processado em um servidor, como por exemplo, em um e-commerce a página que você acessa antes de aparecer em seu navegador é processada em um computador ligado na internet e retorna o processamento das regras de negócio que está contido nele.

Então para que você entenda sobre as aplicações para servidores de HTTP é importante que você saiba que o servidor em si possui alguns recursos, mas ele não consegue por algumas deficiências fazer o processamento de tudo sozinho, como criar páginas dinâmicas e armazenar banco de dados.

Essas falhas na segurança podem surgir em diferentes etapas, como na análise de requisito, implementação e especificação. Esses riscos de aplicação podem causar muitos impactos ao servidor e é por isso que o HTTP usa um modelo de solicitações e respostas aos seus clientes.

Uma solicitação ocorre quando o usuário faz uma solicitação HTTP e então o servidor web devolve uma resposta também HTTP. Dessa forma o broswer verifica como tratar corretamente esse conteúdo. Se a resposta que vem do servidor for uma página HTML, então ela será inserida na resposta HTTP.

Há ainda um protocolo que o cliente e os servidores usam para se comunicar, e essa comunicação é baseada em requisições e respostas também.  Veja então alguns elementos dessa comunicação:

Solicitação:

  • Página que será acessada;
  • Métodos HTTP;
  • Parâmetros do formulário.

Resposta:

  • Código de status que informará se a solicitação foi realizada com sucesso ou não;
  • Conteúdo HTML
  • Tipo de conteúdo (HTML, textos, figuras e muitas outras)

Então a solicitação HTTP possui outra solicitação conhecida como URL, ela é um recurso que se ativa quando o usuário tenta acessar alguns dos métodos HTTP, então veja quais são eles:

GET: Ele solicita ao servidor um recurso chamado de solicitação URL, ele é um método padrão porque é a forma como o browser chama o servidor quando se digita uma URL para que então ele se recupere.

HEAD: O HEAD é muito similar ao método GET, o servidor apenas retoma a linha de resposta e os cabeçalhos de resposta;

PUT: ele contém mais de um corpo nos quais seus parâmetros de solicitação já são codificados, o mais frequente uso desse método é na submissão de formulários.

DELETE: Permite excluir documentos dentro do servidor.

OPTIONS: É possível consultar quais comandos estão disponíveis para um determinado usuário.

TRACE: Permite depurar as requisições porque devolve o cabeçalho de um documento.

Esperamos que com essas informações você tenha entendido um pouco mais sobre as aplicações para servidores de HTTP e tenha para si tais noções.

 

 

 

 

Adicione seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.